Viagens com bagagem de mão: economia e tranquilidade

Há pouco mais de um ano, o brasileiro passou a pagar para despachar bagagem em voo, tanto para destinos domésticos quanto para internacionais.

Por isso, embarcar apenas com a bagagem de mão passou a ser rotina para muitos viajantes e a solução foi se adequar à nova realidade e fazer uma mala de mão com apenas 10 quilos.

Uma das principais vantagens desse novo comportamento é a agilidade. O check-in pode ser feito totalmente online e, ao chegar no aeroporto, o viajante poderá seguir direto para o embarque, sem enfrentar filas para despachar as malas.

Além disso, no destino, não será necessário esperar a mala na esteira. Isso tornará o processo no aeroporto bem mais rápido.

Júnior Lins, Diretor Executivo da Agência de Viagens Bancorbrás, acredita que viagens com mala de mão costumam dar menos dor de cabeça. “Carregando a mala consigo você terá um desembarque com mais agilidade e poderá evitar alguns contratempos”.

O Diretor também aponta que é preciso que os viajantes fiquem atentos aos padrões de tamanho e peso estipulados para bagagem de mão de cada companhia aérea. “Esse detalhe também ajuda a acelerar o processo de embarque e evita que o passageiro tenha que despachar sua mala”, comenta.

Como uma forma de diminuir o problema com extravios de malas, as companhias aéreas têm adotado cada vez mais medidas de prevenção, com forte inclusão de tecnologia de rastreamento e inteligência artificial.

Para se ter uma ideia, segundo a SITA, uma provedora internacional de serviços de Tecnologia da Informação para o setor de aviação, o número de bagagens extraviadas em todo o mundo teve queda de 70,5% entre 2007 e 2017.

É verdade que nem sempre a mala de mão é suficiente. Para uma viagem internacional ou para algum lugar frio, muitas vezes, é preciso levar casacos grandes e que não cabem na mala de mão. “Para certas viagens, apenas a bagagem de mão pode não ser o suficiente. Porém, isso não tira o fato de que levar apenas a bagagem de mão é, inquestionavelmente, mais prático”, comenta Júnior.

Manu Muniz, blogueira de viagens (@manumuniz.blog), conta que o processo de planejar as viagens auxiliou para a construção de um senso maior de organização fazendo com que ela pudesse viajar de forma mais prática. “Sempre que viajei, a mala era um detalhe de peso e estresse. Nunca soube ao certo o quanto levar e o que levar. E o resultado: ou tinha muita coisa e não usava tudo ou tinha de menos e passava perrengue”, compartilhou ela.

Para quem deseja entrar para o time dos viajantes com mala de mão, Manu separou algumas dicas:

  1. Separar os itens que vai levar na viagem: Separar todos os itens, fotografar no chão ou vestindo para poder ver se tem algum defeito, se combina mesmo e se o caimento está bom.
  2. Reduzir tamanhos e quantidades: a necessaire pode ser o item mais pesado da sua mala. Por isso, avalie as quantidades e tamanhos dos itens que você vai levar. Reutilizar potes menores, colocando os produtos que você usa, vai facilitar a arrumação. Mesmo viajando de carro e não tendo restrição de pesos e medidas, não é necessário levar por levar.
  3. Organizar a mala: Organizadores de mala fazem a diferença. Você pode fragmentar por itens, cores.
  4. Escolha os itens certos para a mala: Escolher itens que não amarrotem com facilidade, e não priorizar peças inteiras (vestidos e macacão) ajudam.

Eduardo Paulino

Paulistano, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas empreendedorismo, marketing digital, mobilidade urbana e recursos humanos. Também cria conteúdo no Mobilidade Sampa, Mobilidade Curitiba, Mobilidade Floripa, Mobilidade Rio e Mobilidade Porto Alegre. Quer entrar em contato com o Eduardo? Escreva para eduardo@grupopln.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.