Como escolher o seguro viagem na melhor idade?

A cada dia que passa, temos mais certeza de que a idade é apenas um número. Afinal, há muitos aposentados deixando os viajantes jovens no chinelo, passeando muito, andando o dia todo e se aventurando por novos destinos. Em qualquer faixa etária, é importante se cuidar, e quando o assunto é férias, isso significa ter um bom seguro viagem como aliado.

Isso é ainda mais importante para viajantes acima dos 60 anos. Segundo a April Brasil Seguro Viagem, muitas seguradores impõem um limite de idade e não oferecem coberturas para idosos. Por isso, a companhia recomenda atenção redobrada no produto que será contratado.

O primeiro passo é encontrar um seguro que atenda à idade dos viajantes. Depois, é importante observar o valor da cobertura para assistência médica e hospitalar.

É isso que vai garantir o atendimento em caso de algum acidente ou doença, e os produtos devem ter valores de cobertura mais altos, para certificar que o turista esteja totalmente protegido. A saúde dos mais velhos pode ser mais vulnerável, e isso acaba resultando em tratamentos mais demorados e custosos.

Aqueduto da Amoreira
Aqueduto da Amoreira (Foto: Elvas/Turismo do Alentejo)

É exatamente por isso que se deve observar também se o seguro escolhido cobre o prolongamento da estadia. A April Brasil Seguro Viagem explica que esta é uma condição em que a seguradora auxilia caso o viajante não possa voltar para casa na data marcada por precisar ficar internado ou simplesmente repousar por ordens médicas.

Outros itens a considerar são o direito a um acompanhante em caso de internação e a cobertura para despesas farmacêuticas. O primeiro permite que o passageiro tenha um familiar com ele se for internado, e o segundo reembolsa as despesas com remédios prescritos.

Vale a pena selecionar um produto com uma cobertura de 100% para doenças preexistentes, como os da April Brasil Seguro Viagem. Basicamente, significa que a seguradora se compromete com atendimentos por qualquer problema de saúde, mesmo aqueles que o turistas pudesse ter antes de viajar, como diabetes ou pressão alta.

Por último, mas igualmente importante, há o regresso sanitário, que pode se mostrar essencial. A cobertura ajuda os passageiros que precisem de algo para voltar para casa, com o acompanhamento de um enfermeiro durante o voo.

Eduardo Paulino

Olá! Eu sou o Eduardo e moro em São Paulo. Sou formado em Administração de Empresas. Sou o criador do Mobilidade Sampa e da Mapa da Web e co-fundador do Rede Noticiando. Amo tecnologia, empreendedorismo, recursos humanos, artesanato e tudo relacionado ao marketing digital! Aqui no blog abordo diversos assuntos que fazem parte do meu cotidiano, buscando compartilhar com meus leitores as minhas vivências, opiniões e dicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.