Home office veio para ficar, aponta pesquisa

Dados de um relatório da Workana, plataforma que conecta freelancers e clientes, cujo levantamento foi realizado entre abril e maio, mostram que por conta da pandemia de Covid-19, os funcionários e gestores enxergam que o home office veio para ficar.

Confira abaixo alguns dados da pesquisa:

  • 94,2% dos trabalhadores com carteira assinada gostariam de continuar trabalhando remotamente após a pandemia.
  • 96,7% dos trabalhadores apontam que o home office será um diferencial na hora de escolher a empresa onde desejam trabalhar.
  • 91% dos entrevistados apontaram que trabalhar com foco em resultados e cumprir todas as tarefas é possível sem a necessidade de estar em um escritório oito horas por dia.
  • 84,2% dos gestores entrevistados pensam em promover o home office para seus funcionários e acreditam que o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal é um aspecto que deve ser priorizado, considerando também a flexibilidade de horários.
  • 59,1% dos gestores responderam que, mesmo antes da pandemia, sempre incentivaram o home office. Entretanto somente 36,3% dos trabalhadores responderam que o home office era incentivado nas empresas antes da pandemia.
  • 35,2% responderam que o trabalho remoto ficará mais flexível e o sucesso da obra será medido pelo resultado oferecido e não pela quantidade de horas trabalhadas.
  • 17,2% afirmaram que haverá mais liberdade e autonomia no trabalho remoto.
  • 16,4% acreditam que a empresa deverá ter uma comunicação mais transparente para que o funcionário esteja alinhado com seus objetivos, mesmo de forma remota.
  • 28,6% dos gestores apontam que um dos desafios está em gerar mais flexibilidade nas horas de trabalho para garantir o equilíbrio da vida de trabalho.
  • 14,3% dos gestortes responderam que um outro desafio é oferecer alguma solução para ajudar os pais que trabalham em casa com crianças.
  • 35,7% das empresas responderam que precisarão melhorar a tecnologia e a conectividade para que o trabalho remoto se dê de forma eficiente.
  • 7,1% das empresas apontaram que será prioridade atualizar computadores e servidores para que os funcionários possam usá-los normalmente em casa.

Agora eu pergunto para você que passou trabalhar em casa por causa da pandemia, o home office veio para ficar? Depois me conte sua opinião abaixo nos comentários.

Eduardo Paulino

Paulistano, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas empreendedorismo, marketing digital, mobilidade urbana e recursos humanos. Também cria conteúdo no Mobilidade Sampa, Mobilidade Curitiba, Mobilidade Floripa, Mobilidade Rio e Mobilidade Porto Alegre. Quer entrar em contato com o Eduardo? Escreva para eduardo@grupopln.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.